Inicial » Mais notícias » Anatel, CGI.Br e Inmetro analisam qualidade da banda larga fixa  

Mais notícias

Anatel, CGI.Br e Inmetro analisam qualidade da banda larga fixa
11 de Maio de 2010

A Anatel, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e o Comitê Gestor da Internet (CGI.Br) , por meio de cooperação técnica e institucional estabelecida em Memorando de Entendimento firmado entre as partes em 25 de junho de 2009, participam do projeto de análise da qualidade do acesso à internet em banda larga fixa no Brasil. O objetivo do estudo é obter informações sobre parâmetros técnicos importantes das redes das prestadoras para melhorar a qualidade do serviço aos usuários.

A participação das três instituições tem como motivação a sinergia de competências e a complementaridade das atribuições legais das partes frente ao tema referido. A Anatel regula os serviços de telecomunicações, que proporcionam o acesso à Internet em banda larga; o Inmetro possui conhecimento sobre estatística e metrologia; já o CGI.Br detém expertise em relação à internet e inclusive disponibiliza em seu endereço eletrônico uma ferramenta, chamada Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha (Simet) para medições de qualidade do acesso da última milha. A coordenação do projeto é rotativa, com período anual, a ser iniciada pelo Inmetro, seguida pelo CGI.Br e, posteriormente, pela Anatel. No âmbito da Agência, o projeto é conduzido pela Gerência-Geral de Serviços Privados de Telecomunicações (PVST) da Superintendência de Serviços Privados.

Os testes de medição da qualidade, iniciados em março, estão sendo realizados na residência de 160 consumidores voluntários previamente selecionados e compreendem as seguintes cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza, Salvador e Brasília. Participam dos testes as prestadoras Telefônica, Oi, GVT e NET, selecionadas com base na participação de mercado na oferta da banda larga fixa. Após a análise e discussão dos resultados, será elaborado e divulgado relatório técnico consolidado no final de 2010.

As medições são realizadas por meio de equipamentos instalados na residência dos assinantes participantes da amostragem e conectados de forma exclusiva à prestadora a ser avaliada, a fim de que os dados obtidos tenham máxima confiabilidade. Os parâmetros técnicos avaliados e os critérios adotados para a aferição da qualidade do serviço estão indicados na tabela a seguir:  

Grandeza

Critério

Disponibilidade

Maior ou igual a 99% (equivalente a 7,2h de interrupção ou menos a cada mês)

Vazão/Velocidade Média

Média maior que 60% da vazão/velocidade máxima contratada

Vazão/Velocidade Instantânea

Valor instantâneo mínimo de 20% da vazão/velocidade máxima contratada

Perda de Pacotes

Perda máxima de 2% (dois por cento) do volume de dados enviados

Latência unidirecional

Valor máximo de 40 milissegundos

Latência Ida e Volta (RTT)

Valor máximo de 80 milissegundos

Jitter

Variação máxima de 50 milissegundos

Tempo para estabelecimento de conectividade IP

Tempo máximo de 1 minuto

Número de tentativas para estabelecimento de conectividade IP

Valor máximo de 2 tentativas

DNS - tempo de resposta do

servidor recursivo

Tempo máximo de 80 milissegundos

DNS - obediência ao campo

TTL

Servidor recursivo deve obedecer ao campo TTL

DNS - resposta a uma

consulta a um endereço

inexistente

Servidor recursivo deve responder que o endereço é inexistente

DNS - possibilidade de

consulta ao servidor

autoritativo

O cliente deve receber uma resposta à consulta

DNS - possibilidade de

consulta ao servidor

autoritativo

Deve ser verificado no log do servidor autoritativo que houve consulta do cliente, permitindo verificar que não existe um proxy DNS transparente na rede

Tempo de Instalação do Serviço

7 (sete) dias

Tempo de cancelamento do

serviço

Período máximo de 30 dias.