Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Qualidade - Banda Larga Fixa

Publicado: Segunda, 16 de Novembro de 2015, 14h35 | Última atualização em Terça, 19 de Junho de 2018, 10h11 | Acessos: 95802
        

 

 

A Anatel monitora a qualidade da prestação do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), a banda larga fixa, por meio de indicadores operacionais. Os 14 indicadores definidos no Regulamento de Gestão da Qualidade (RGQ-SCM), aprovado pela Resolução nº 574/2011 demonstram o desempenho das prestadoras com mais de 50 mil acessos em três aspectos: reação do usuário, rede e atendimento. 

Acesse o Ranking por UF
Informações declaradas pelas prestadoras, com
certificação de Organismo de Certificação Credenciado.
 

 

Cada indicador possui uma meta associada que corresponde ao desempenho mínimo estabelecido para a adequada qualidade do serviço em cada área geográfica definida na regulamentação.

Considerando os indicadores válidos de todas as prestadoras monitoradas durante o ano de 2017, o percentual de cumprimento de metas do serviço alcançou 64,2%. Esse patamar ficou abaixo do verificado durante os anos de 2013 (70,5%) e 2014 (67,4%), entretanto, apresentou melhora em relação aos anos de 2015 (59,4%) e 2016 (63,2%).

Comparando o desempenho das prestadoras, a Sercomtel apresentou, proporcionalmente, o maior percentual de cumprimento de metas, com 91,7% de um total de 84 indicadores válidos referentes à área geográfica onde se encontra em efetiva operação, seguida pela Cabo Telecom (90,5% de 84), Multiplay (85,7% de 42), Algar Telecom (84,5% de 336), Claro (83,2% de 2.437), SKY (82,4% de 1.890),  TIM (71,8% de 312), Vivo (61,8% de 1.997), Copel Telecom (61,2% de 67), e Oi (23,1% de 2.190). Os dados relativos à prestadora Blue foram incorporados aos da Claro em razão da consolidação das empresas. As áreas onde cada prestadora se encontra efetivamente em operação estão listadas  aqui.

Os indicadores com o menor percentual de cumprimento de metas ao longo deste ano foram o SCM10 - Taxa de atendimento pelo atendente em sistema de autoatendimento (33,5%), o SCM8 - Taxa de Perda de Pacote (52,6%), o SCM13 - Taxa de tempo de reparo (58,0%) e o SCM3 - Taxa de Reclamações Reabertas na Prestadora (60,3%).

O gráfico abaixo demonstra que a maioria dos estados brasileiros situa-se na faixa de 50% a 70%, à exceção de 5 unidades federativas (BA, MG, PR, RN e SP) que apresentaram um resultado superior na faixa de 70% a 90%.

Relatório de avaliação dos indicadores de desempenho das prestadoras

Relatório de avaliação dos indicadores de desempenho das prestadoras.

Arquivo no formato “.ods - Planilha OpenDocument” com a série histórica de indicadores de qualidade das prestadoras do serviço.

Fim do conteúdo da página