Portal Setor Regulado

Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Tarifas e Preços > Cálculo do Índice de Serviços de Telecomunicações – IST

Início do conteúdo da página

Início do conteúdo da página


Cálculo do Índice de Serviços de Telecomunicações – IST

Publicado: Quinta, 05 de Fevereiro de 2015, 15h54 | Última atualização em Terça, 12 de Setembro de 2017, 14h17 | Acessos: 47069

O Índice de Serviços de Telecomunicações (IST) é um índice composto por uma combinação de outros índices existentes na economia com o objetivo de atualizar valores associados à prestação dos serviços de telecomunicações, especialmente tarifas da telefonia pública, refletindo as reais variações de despesas das prestadoras da melhor forma possível.

Entre os seus principais formadores estão o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com 47,6%, e o Índice de Preços por Atacado - Oferta Global/Máquinas e Equipamentos (IPA-OG/Máquinas), com 32,46%. A seleção dos índices que compõem o IST foi realizada em um trabalho conjunto entre a Anatel e a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE.

O IST, que foi normatizado inicialmente pela Resolução nº 420, de 25 de novembro de 2005, revisada pela Resolução n° 532 de 03/08/2009, é composto por 9 índices de preços existentes, cada um alocado com a natureza da despesa da prestadora. Em resumo, ele é composto por 55,60% de índices de varejo e 44,40% de índices de atacado.

Como é calculado o IST:

O IST é um índice aplicado aos serviços de telecomunicações em geral, sendo composto por uma cesta de outros índices públicos da economia brasileira.

Dessa forma, como explicado anteriormente, o IST é calculado a partir da multiplicação da ponderação das despesas do conjunto de empresas observadas (vide tabela de ponderações constante do anexo da Resolução nº 425, de 7 de dezembro de 2005) pelos índices de preços associados (vide tabela de associação de índices constante do anexo da Resolução nº 532, de 3 de agosto de 2009).

Como exemplo, podemos supor a presença de 2 despesas; pessoal e material com peso igual a 50% para cada uma. Suponhamos que os índices de preços associados às rubricas acima sejam o IPCA para pessoal e o IGP-DI para material. Daí, multiplicamos o peso da despesa pelo número índice correspondente ao índice de preço associado. Suponhamos que para o IPCA e IGP-DI no mês de Janeiro de 2010 tenhamos os números-índices 270,10 e 300,25, respectivamente. Portanto, o cálculo a ser feito é o seguinte:

Que resulta em:

Para se chegar às variações percentuais do IST, que fornecem as medidas de variação de preços, primeiramente calculam-se os números-índices conforme acima. Números-índices são valores adimensionais, isto é, sem unidade de medida, que expressam a variação de uma determinada grandeza (preços, quantidades, volumes, etc) entre duas datas. O IST mede as variações de preços de um conjunto fixo de itens, ao qual denominamos despesas de referências, entre uma data base e outra data qualquer.

A data de referência inicial para a construção do IST é janeiro de 2004. Nesse mês, todos os índices valem 100. No mês de janeiro de 2010, por exemplo, o número-índice do IST seria de 285,175. Isto significa que a inflação acumulada apurada para os serviços de telecomunicações seria de 185,175%, entre janeiro de 2004 e janeiro de 2010. A taxa de variação é calculada da seguinte forma:

Em números teremos:

Acesse aqui a metodologia de cálculo do vetor de ponderação da estrutura de despesas de referência

Metodologia de arredondamento:

O cálculo do IST padroniza a forma de arredondamento e truncamento, tendo em vista a necessidade de homogeneização dos valores decimais calculados. Assim, o vetor de ponderação permanece conforme definição da Resolução nº 425, de 7 de dezembro de 2005, e os processos de cálculo subsequentes deverão ser arredondados na 5º (quinta) casa decimal, sendo que o valor final do número-índice deve ser truncado na 3º (terceira) casa decimal após a vírgula.

 

Fim do conteúdo da página