Portal do Consumidor

Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Anatel publica resultado da Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida

Publicado: Sexta, 08 de Março de 2019, 15h56 | Última atualização em Segunda, 11 de Março de 2019, 14h33 | Acessos: 5490

A Anatel divulgou, no dia 11 de março, os resultados da Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida, que entrevistou cerca de 100 mil consumidores de Telefonia Fixa, Telefonia Móvel Pré e Pós-pagas, Banda Larga Fixa e TV por assinatura nas 27 Unidades da Federação. Foram aferidas a satisfação geral do consumidor com a sua prestadora e também sua percepção de qualidade sobre os diferentes aspectos do serviço contratado.

A Agência foi responsável por desenvolver a metodologia da pesquisa, formular os questionários, sortear os contatos a serem entrevistados e controlar toda a sua execução. As entrevistas, por telefone, foram realizadas pela empresa Ibope Inteligência entre julho e novembro de 2018.

Este é o quarto ano da pesquisa e os resultados desta edição - e das anteriores - poderão ser consultados e baixados no Portal do Consumidor da Anatel: www.anatel.gov.br/consumidor/pesquisa-de-satisfacao-e-qualidade. No mesmo endereço eletrônico, é possível ter acesso, entre outros materiais, a: a) rankings, divididos por Unidades da Federação, que possibilitam a comparação da satisfação dos consumidores com as diferentes prestadoras de cada serviço; b) apresentação com os resultados da Pesquisa; c) planilhas com detalhamentos dos resultados; e d) relatórios produzidos pela Anatel e a empresa pesquisadora.

 

Visão geral dos resultados

 

De modo geral, no ano de 2018, o desempenho dos serviços pesquisados melhorou em relação às pesquisas anteriores. Na média nacional, subiu a nota de satisfação geral (numa escala de 0 a 10) para todos os serviços. Os indicadores de qualidade percebida também registraram aumentos significativos em todos os serviços pesquisados. Os aspectos aferidos por estes indicadores são: 1) atendimento telefônico; 2) canais de atendimento; 3) capacidade de resolução de demandas; 4) cobrança (ou recarga, no caso da telefonia móvel pré-paga); 5) funcionamento; 6) oferta e contratação; e 7) Reparo e Instalação.

Os consumidores de Telefonia Móvel Pós-paga foram os que se declararam mais satisfeitos, com a nota média nacional de 7,32, contra 6,99 em 2017. A nota mais alta de satisfação geral foi atribuída à prestadora Porto Seguro, no Rio Janeiro (8,83), e a mais baixa, à operação da Oi no mesmo estado (6,28).

Na média nacional, houve evolução positiva deste indicador para todas as empresas pesquisadas, com exceção da Porto Seguro, que se manteve estável, na primeira posição.

Houve também, na média nacional para todas as prestadoras, manutenção ou elevação das notas para os indicadores de qualidade percebida. O aspecto mais bem avaliado do serviço é a cobrança (7,53), e os com menores notas são atendimento telefônico e capacidade de resolução (6,40 e 6,34, respectivamente).

A satisfação dos consumidores com a Telefonia Móvel Pré-paga também aumentou em relação à pesquisa de 2017, sendo que a nota média nacional subiu de 6,83 para 7,19. A operação com maior nota de satisfação foi a da Nextel, no Rio de Janeiro (8,21) e a com menor nota foi a da Vivo, no Mato Grosso (6,46).

Na média nacional, todos os indicadores de qualidade de serviço tiveram aumento. O aspecto melhor avaliado pelos consumidores é o funcionamento do serviço (7,33) e o com pior avaliação é a capacidade de resolução de demandas (5,67).

A TV por Assinatura, que nos anos de 2015 e 2016 foi o serviço que, na média nacional, mais gerou satisfação nos consumidores, registrou em 2018 a nota de 7,18 neste indicador, em posição próxima à da Telefonia Móvel Pré-Paga.  Mesmo assim, evoluiu em relação à nota de 2017 (que foi de 6,93). A operação da Nossa TV em Minas Gerais foi a que obteve a nota mais alta de Satisfação Geral (9,07) e a da Vivo, em Goiás, foi a que obteve a menor (6,56).

Na média nacional, as notas de todos os indicadores de qualidade percebida aumentaram em relação ao ano anterior, com exceção do indicador de funcionamento (8,28), que se manteve estável. Mesmo assim, este segue sendo o indicador mais bem avaliado do serviço. As menores notas dos consumidores foram atribuídas para os indicadores de capacidade de resolução de demandas (6,63) e atendimento telefônico (6,62).

A média nacional da satisfação geral dos consumidores com a Telefonia Fixa subiu de 6,92 para 7,11 entre os anos de 2017 e 2018. A operação com maior nota neste indicador foi a da TIM, no Pernambuco (8,27) e a com menor nota foi a da Oi, na Bahia (6,10).

Na média nacional, todos os indicadores de qualidade percebida evoluíram positivamente em relação ao ano anterior. A maior nota de qualidade percebida é relativa ao funcionamento (7,95) e as piores são relativas ao atendimento telefônico (6,30) e capacidade de resolução (6,20).

Dentre todos os serviços, os consumidores de Banda Larga Fixa foram os que se mostraram menos satisfeitos com o serviço, embora a média nacional de satisfação geral tenha aumentado em relação ao ano anterior, passando de 6,23 para 6,43. A operação com a maior nota de satisfação geral é a da Copel, no Paraná (8,35) e a com menor nota é a da Oi no Rio de Janeiro (5,41).

Na média nacional, os indicadores de qualidade percebida tiveram notas maiores em relação à pesquisa do ano anterior. O indicador com a maior nota no serviço de Banda Larga Fixa é a cobrança (7,04) e o com menor nota é a capacidade de resolução (6,02).

 

Outros destaques

               

  • Em geral, as prestadoras de menor porte satisfazem mais o consumidor – e também recebem melhores notas de qualidade percebida.
  • Os indicadores de atendimento telefônico e capacidade de resolução de demandas são os piores avaliados em todos os serviços.

O funcionamento dos serviços costuma ser um dos aspectos mais bem avaliados pelos consumidores. A exceção fica para o serviço de banda larga fixa, que recebeu uma das menores notas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página