Ir direto para menu de acessibilidade.
> Consumidor > Concurso Prática Inovadora > Chamadas > Crimes cibernéticos: descubra como você pode se proteger de ataques na internet!

Crimes cibernéticos: descubra como você pode se proteger de ataques na internet!

Publicado: Terça, 02 de Janeiro de 2018, 17h22 | Última atualização em Terça, 27 de Agosto de 2019, 08h36 | Acessos: 39645

Quem nunca desconfiou de um e-mail ou mensagem recebida por aplicativo com um link estranho? Cuidado: ao clicar nele, você pode ser vítima de um crime cibernético. Esse problema cresceu tanto, que até forçou mudanças na estrutura de combate a crimes no Brasil.

Para dar apoio ao trabalho das delegacias comuns no combate a crimes cometidos online, foram criadas as delegacias especializadas em crimes cibernéticos. Esses espaços buscam atender melhor pessoas como a estudante Marianna Ramos, vítima de uma fraude na internet. Na expectativa de obter descontos e benefícios em compras online, ela clicou em um link com uma promoção falsa de passagem aérea, que deixou seu celular com vírus. “Meus aplicativos não abriam e o aparelho ficou muito lento, tive que levar para o técnico consertar e gastei dinheiro com isso”, relata a consumidora.

Embora acredite que os responsáveis por esse tipo de golpe devam ser punidos, Marianna conta que, quando sofreu um ataque do gênero, não soube quais providências tomar. Ela não conhecia as delegacias especializadas. “Fiquei indignada e sem saber a quem recorrer para denunciar”, explica. Ela relata, ainda, a sensação de desamparo diante do caso: “Na internet não sabemos quem está do outro lado’’.

A estudante está longe de ser exceção ao enfrentar problemas como esse. No Brasil, mais de 70 milhões de pessoas caíram em golpes online apenas entre os meses de abril e setembro de 2017. Esse número indica um aumento de 44% na quantidade de ataques digitais em relação ao mesmo período do ano anterior. Essa é a estimativa do DFNDR Lab, laboratório especializado em cibercrimes.

De acordo com a organização, a expectativa é que esse número aumente em datas comemorativas, em que os criminosos aproveitam para espalhar promoções e links falsos. Por isso, o delegado especializado em crimes cibernéticos, Emerson Wendt, destaca a relevância de se ter cautela em compras online: “Quando quiser efetivar alguma compra pela internet, cuidado com os preços abaixo dos valores de mercado e com sites novos e que não possuem uma política de uso clara e endereços físicos conhecidos”. Segundo o especialista, é fundamental que o usuário pesquise a origem, a legitimidade e a reputação do site, além do valor do produto em outras lojas, para considerar o melhor custo benefício em sites confiáveis.

 

Saiba quais são os golpes mais comuns

 

Uma das técnicas mais usadas pelos hackers é o emprego de um malware, que consiste em qualquer software mal-intencionado que tem como objetivo invadir computadores. Dentre suas variações mais conhecidas e usadas, está o phishing, prática voltada para obter informações sigilosas, como dados pessoais e financeiros.

Em decorrência desses ataques, Wendt ressalta a importância de os usuários tomarem cuidado ao navegar online: “Além de ter antivírus e um sistema operacional atualizado, é preciso não clicar em links oriundos de e-mails e cuidar para não instalar vulnerabilidades nos computadores e celulares”. O delegado recomenda: “Não confie em links suspeitos, nem mesmo vindos do e-mail do melhor amigo ou amiga, pois eles podem estar infectados”.

Já a advogada Daiille Toigo faz um alerta sobre a frequência de golpes bancários, principalmente aqueles com cartões de crédito envolvendo obtenção de dados e compras não autorizadas. Ela também destaca a falsificação de sites originais e seus efeitos: “As informações são guardadas em bancos de dados e são utilizadas posteriormente de forma indevida”. A orientação da especialista é que as pessoas tenham atenção ao receber e-mails com faturas e ao realizar compras online. Ela recomenda que o consumidor procure entrar em contato com o seu banco antes de qualquer movimentação via internet na conta.

Recentemente, a empresa PSafe, especializada em desenvolvimento de aplicativos de segurança, listou os 10 estados mais visados por hackers no Brasil. São eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Piauí, Santa Catarina e Ceará. Confira o ranking abaixo:

 

Fonte: Anatel, com informações da empresa PSafe.

 

Emilio Simoni, diretor do DFNDR Lab recomenda, ainda, que os usuários tenham comportamento preventivo ao navegar na internet. “As pessoas devem ficar atentas a qualquer tipo de promoções exageradas e também ao compartilhamento de informações pessoais”. Outra dica do especialista é que os usuários recorram a softwares de segurança com a função antiphishing, uma vez que, segundo ele, esse sistema é capaz de detectar muitas das ameaças existentes no mundo virtual.

 

Delegacias especializadas em crimes cibernéticos: como funcionam e onde encontrar?

 

Para tratar de crimes cibernéticos no Brasil, atualmente, existem onze delegacias especializadas em crimes virtuais. Elas encontram-se nas capitais dos estados do Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e no Distrito Federal.

Essas unidades buscam combater crimes aplicados online, como a criação de sites falsos para compras, roubo de informações pessoais e financeiras, desvio de dinheiro de contas bancárias, crimes contra a honra (calúnia, injúria e difamação), entre outros.

As delegacias especializadas agem em parceria com delegacias da polícia civil. Ou seja, se não houver uma delegacia especializada nesses crimes em sua cidade, você pode ir à delegacia mais próxima. Depois da comunicação do crime pela vítima, é feito o registro do caso.

A partir disso, autoridades policiais tomam providências, judiciais ou não, para contato com os provedores de internet e conteúdo, a fim de esclarecer a autoria do delito. Com base nas denúncias, as delegacias civis podem criar estatísticas, padrões e procedimentos para a melhoria das investigações nos casos de crimes virtuais.

Então, fique atento! Para fazer uma denúncia, a vítima deve dirigir-se a uma delegacia especializada ou a uma delegacia comum, com todos os dados possíveis relacionados ao crime em mãos. Essas informações podem ser entregues de maneira impressa ou digital. A partir disso, é feito um boletim de ocorrência e tem início a investigação.

Para conferir a lista completa com os telefones e endereços das delegacias especializadas no Brasil, acesse o Portal do Instituto de Defesa Cibernética (IDCIBER), vinculado ao Ministério da Defesa. A página também oferece cursos de especialização para desenvolver a cultura de defesa cibernética.