Ir direto para menu de acessibilidade.


Qualidade - Banda Larga Fixa

Publicado: Segunda, 16 de Novembro de 2015, 14h35 | Última atualização em Sexta, 23 de Agosto de 2019, 17h55 | Acessos: 138905
        

 

 

A Anatel monitora a qualidade da prestação do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), a banda larga fixa, por meio de indicadores operacionais. Os 14 indicadores definidos no Regulamento de Gestão da Qualidade (RGQ-SCM), aprovado pela Resolução nº 574/2011 demonstram o desempenho das prestadoras com mais de 50 mil acessos em três aspectos: reação do usuário, rede e atendimento.

Acesse o Ranking por UF 
 
Informações declaradas pelas prestadoras, com certificação de Organismo de Certificação Credenciado.

 

 

Cada indicador possui uma meta associada que corresponde ao desempenho mínimo estabelecido para a adequada qualidade do serviço em cada área geográfica definida na regulamentação.

Considerando os indicadores válidos de todas as prestadoras monitoradas durante o período de janeiro a dezembro de 2018, o percentual de cumprimento de metas do serviço alcançou 73,2%. Esse patamar ficou acima do verificado durante os anos de 2013 (70,5%), 2014 (67,4%), 2015 (59,4%), 2016 (63,2%) e 2017 (64,2%).

Comparando o desempenho das prestadoras, a Cabo Telecom apresentou, proporcionalmente, o maior percentual de cumprimento de metas, com 100% de um total de 70 indicadores válidos referentes à área geográfica onde se encontra em efetiva operação, seguida pela Sercomtel (98,6% de 70), Multiplay (94,1% de 68), Claro (91,5% de 4.285), Copel Telecom (89,6% de 125), Algar Telecom (83,8% de 426), TPA - Unifique (75,6% de 119), SKY (72,3% de 3.315), Vivo (70,2% de 3.286), Oi (56,8% de 4.367) e TIM (54,4% de 340). As áreas de operação de cada prestadora podem ser obtidas a partir dos dados de acessos divulgados pela Agência.

Os indicadores com o menor percentual de cumprimento de metas ao longo deste ano foram o SCM10 - Taxa de Atendimento pelo Atendente em Sistemas de Autoatendimento (32,2%), o SCM13 - Taxa de tempo de reparo (52,7%), o SCM8 - Taxa de Perda de Pacote (57,4%), o SCM3 - Taxa de Reclamações Reabertas na Prestadora (67,7%) e o SCM12 - Taxa de Solicitações de Reparo (69,7%).

O gráfico abaixo demonstra que a maioria dos estados brasileiros situa-se na faixa de 70% a 80%, à exceção de 6 unidades federativas (AC, AM, MA, PA, PI, e RO) que se situam na faixa de 60% a 70% e  2 unidades federativas (AP e RR) que apresentaram resultados inferiores a 60%.

Relatório de avaliação dos indicadores de desempenho das prestadoras

Arquivo no formato “.ods - Planilha OpenDocument” com a série histórica de indicadores de qualidade das prestadoras do serviço.