Ir direto para menu de acessibilidade.

TV Digital

Anatel e EAD entregam conversores em instituição de acolhimento em Curitiba

Publicado: Quarta, 13 de Dezembro de 2017, 15h06 | Última atualização em Terça, 14 de Maio de 2019, 13h20 | Acessos: 3716

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, e o presidente da EAD (Entidade Administradora da Digitalização), Antonio Martelleto, visitaram na manhã desta quarta-feira, 13/12, a instituição Pequeno Cotolengo, em Curitiba (PR). A instituição recebeu 26 kits com conversores e antenas para recepção do sinal digital.

A instituição tem 53 anos, nasceu na Itália pelos anos de 1900 e trabalha com acolhimento permanente, inclusive de pessoas com deficiência mental. É um trabalho da igreja Católica que acolhe tanto crianças quanto idosos. No local residem pessoas que não tem família, não tem ninguém que possa ajudar. A casa tem capacidade para 216 pessoas. A manutenção da entidade é de 30% por recursos provenientes do orçamento dos municípios do estado e outros 70% de atividades realizadas na instituição.

O presidente da instituição, Renaldo Amauri Lopes, afirmou “a TV traz o mundo para dentro de casa”, explicando a importância da TV para as pessoas que moram no local. A casa conta com 350 funcionários além de um quadro médico de 14 especialistas. O custo de manutenção da instituição é de 1,4 milhão por mês.

Após a visita à instituição o presidente concedeu entrevista coletiva à imprensa na gerência regional da Anatel. O presidente Juarez Quadros afirmou que acredita que a digitalização em Curitiba, na região metropolitana, já está em quase 90%, percentual necessário para o desligamento do sinal analógico. Ele alertou ainda que as famílias que têm direito a receber o kit não deixem para a última hora porque assim eles poderão assistir as festas de fim de ano. “É importante não deixar para o último dia”, disse ele. Quadros falou ainda que com o desligamento do sinal analógico será liberada a faixa dos 700 MHz para uso da banda larga móvel.

O presidente da Seja Digital, Antonio Martelleto, explicou que a entidade é quem operacionaliza a distribuição de kits e faz a propaganda do desligamento. “O nosso papel é trabalhar pela divulgação do processo”, disse ele. Martelleto explicou ainda que são realizadas muitas ações de mobilização para que as pessoas busquem seus kits ou comprem no mercado. Ele falou que está na etapa final e que as pessoas precisam ligar para o 147 para saber se tem direito ao kit. Martelleto lembrou também que faltam apenas 49 dias para o desligamento do sinal analógico com Curitiba.

Também estiveram presentes na divulgação: o superintendente de outorgas, Vitor Elisio Menezes, o superintendente de fiscalização, Juliano Stanzani e a ouvidora Amélia Regina Alves. 

No ponto de distribuição de kits, Amanda Lopes, 41 anos, segurança, disse que ficou sabendo pela vizinha que tinha direito a receber o kit. Ela mora na fazenda Rio Grande explicou que quem assiste a TV são os três filhos. Falou ainda que seus filhos são adolescentes e adoram ver filmes. A TV da família ainda é de tubo.

Outra pessoa que recebeu o kit é a Salete que explicou como tomou conhecimento do direito ao recebimento do kit “veio um papel na minha casa avisando e também sempre passa na televisão avisando que as pessoas de baixa renda, com benefício, conseguem receber”. Sobre a instalação do conversor ela esclareceu: “Tenho um vizinho que instalou o conversor na casa dele e ele falou que me ajuda e instala para mim”.

 

 

 

registrado em: