Ir direto para menu de acessibilidade.

700MHz

Presidente da Anatel fala sobre leilão de 700 MHz em 2018

Publicado: Terça, 20 de Março de 2018, 14h12 | Última atualização em Quinta, 29 de Março de 2018, 16h24 | Acessos: 3726

 Foto do Encontro Telesíntese em Brasília

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, participou na manhã desta terça-feira, dia 20/03, do Encontro Telesíntese, em Brasília, que tratou das perspectivas para o uso de frequências nos serviços de telecomunicações. “A faixa de 700 MHz está em nosso horizonte próximo para um leilão, possivelmente ainda em 2018”, disse ele. 

A Anatel deverá adotar um cronograma de venda de espectro, “de forma a permitir previsibilidade da disponibilidade de investimento por parte dos regulados”, afirmou o presidente.  Destacou ainda que está em consulta pública a proposta de reavaliação do modelo de gestão do espectro.

Dos 58 projetos regulatórios que serão iniciados ou aprovados pelo Conselho Diretor da Anatel até o final deste ano, contou Juarez Quadros, 20 deles estão relacionados à gestão do espectro, com destaque especial para a tecnologia 5G.

Juarez Quadros disse que o Brasil está na vanguarda mundial no uso eficiente e racional do espectro, e poderá ser um dos pioneiros da 5G para o serviço móvel em 2020.

“O tempo entre o desenvolvimento dos padrões da tecnologia e a implementação no Brasil tem diminuído”, explicou, por isso a regulamentação deve facilitar a introdução de novas tecnologias, ser tecnologicamente neutra, incentivar a competição e ser atualizada.

Também está sendo avaliada a utilização de recursos para a solução de interferências na faixa de 3,5 GHz, especialmente na recepção de TV aberta por satélite em banda C, do mesmo modo que no processo de digitalização da faixa de 700 MHz.

Juarez Quadros afirmou que os padrões 5G serão muito mais do que uma evolução das redes móveis, ela vai viabilizar novos serviços e aplicações por meio de integração de recursos de rede em uma infraestrutura unificada, “de modo a oferecer conectividade com grande cobertura e disponibilidade para redes de Informação como IoT, IA, Big Data e Indústria 4.0, abrangendo coisas e pessoas”.

Existe um esforço internacional para explorar de forma cada vez mais eficiente o uso do espectro, disse, “diante de uma realidade inevitável: a interconexão de pessoas e coisas em redes de telecomunicações é um movimento sem volta”.

Também participaram do evento o conselheiro da Anatel Otávio Luis Rodrigues Junior; e o gerente de Espectro, Órbita e Radiodifusão da Agência, Agostinho Linhares; além do superintendente de Outorgas, Vitor Elisio.   

registrado em: