Ir direto para menu de acessibilidade.
>Pagina inicial > Resoluções > 2006 > Resolução nº 435, de 25 de maio de 2006 (REVOGADA)


Resolução nº 435, de 25 de maio de 2006 (REVOGADA)

Publicado: Sexta, 26 Maio 2006 14:32 | Última atualização: Sexta, 10 Maio 2019 13:55 | Acessos: 1914
Revogada pela Resolução nº 557/2010

Aprova o Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências nas Faixas de 381,025 MHz a 381,750 MHz e 391,025 MHz a 391,750 MHz.

 

Observação: Este texto não substitui o publicado no DOU de 26/5/2006.

 

O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, e pelo art. 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto nº 2.338, de 7 de outubro de 1997;

CONSIDERANDO o disposto no inciso VIII do art. 19 da Lei nº 9.472, de 1997, que atribui à Anatel a administração do espectro de radiofreqüências, expedindo as respectivas normas;

CONSIDERANDO os termos dos artigos 159 e 161 da Lei nº 9.472, de 1997, segundo os quais, na destinação de faixas de radiofreqüências, será considerado o emprego racional e econômico do espectro e que, a qualquer tempo, poderá ser modificada a destinação de radiofreqüências;

CONSIDERANDO o disposto no inciso I do art. 214 da Lei nº 9.472, de 1997, segundo o qual, os regulamentos, normas e demais regras em vigor serão gradativamente substituídos por regulamentação a ser editada pela Agência;

CONSIDERANDO as contribuições recebidas em decorrência da Consulta Pública nº 659, de 22 de dezembro de 2005, publicada no Diário Oficial da União de 23 de dezembro de 2005;

CONSIDERANDO deliberação tomada em sua Reunião nº 395, realizada em 24 de maio de 2006,

RESOLVE:

Art. 1º Aprovar o Regulamento sobre Condições de Uso de Radiofreqüências nas Faixas de 381,025 MHz a 381,750 MHz e 391,025 MHz a 391,750 MHz, na forma do Anexo a esta Resolução.

Art. 2ºDestinar as faixas de radiofreqüências de 381,025 MHz a 381,750 MHz e de 391,025 MHz a 391,750 MHz, ao Serviço Limitado Móvel Privativo (SLMP) em aplicações de Segurança Pública, em caráter primário e sem exclusividade.

Art. 3º Determinar que não seja mais expedida autorização de uso de radiofreqüências e licenciada nova estação nas condições estabelecidas na Portaria nº 623 – MC, de 21 de agosto de 1973, nas seguintes subfaixas:

I - Canais 75 a 100 da Tabela VIII – Sistemas Monocanais: ida 362,275-362,900 e volta 381,025-381,650 MHz e;

II – Canal 8 da Tabela VII – Sistemas Multicanais: ida 372,900 MHz e volta 391,650 MHz.

Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

PLÍNIO DE AGUIAR JÚNIOR

Presidente do Conselho, Substituto

 

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 435, DE 25 DE MAIO DE 2006

REGULAMENTO SOBRE CANALIZAÇÃO E CONDIÇÕES DE USO DE RADIOFREQÜÊNCIAS NAS FAIXAS DE 381,025-381,750 MHz E 391,025-391,750 MHz

CAPÍTULO I

Das Disposições Gerais

Art. 1º Este Regulamento tem por objetivo estabelecer a canalização e as condições de uso de radiofreqüências nas faixas de 381,025 MHz a 381,750 MHz e 391,025 MHz a 391,750 MHz, por sistemas digitais do Serviço Limitado Móvel Privativo (SLMP) em aplicações de Segurança Pública.

CAPÍTULO II

Da Canalização

Art. 2º As freqüências nominais das portadoras dos canais de radiofreqüências estão apresentadas na Tabela 1, sendo que as estações terminais móveis ou fixas farão uso, na transmissão, das radiofreqüências na faixa 381,025-381,750 MHz, enquanto que as radiofreqüências das estações rádio base correspondentes, para transmissão, estarão compreendidas na faixa 391,025-391,750 MHz.

 

Tabela 1

Canal Nº

Transmissão da Estação Terminal Móvel ou Fixa (MHz)

Transmissão da Estação Rádio Base (MHz)

1

381,0500

391,0500

2

381,0750

391,0750

3

381,1000

391,1000

4

381,1250

391,1250

5

381,1500

391,1500

6

381,1750

391,1750

7

381,2000

391,2000

8

381,2250

391,2250

9

381,2500

391,2500

10

381,2750

391,2750

11

381,3000

391,3000

12

381,3250

391,3250

13

381,3500

391,3500

14

381,3750

391,3750

15

381,4000

391,4000

16

381,4250

391,4250

17

381,4500

391,4500

18

381,4750

391,4750

19

381,5000

391,5000

20

381,5250

391,5250

21

381,5500

391,5500

22

381,5750

391,5750

23

381,6000

391,6000

24

381,6250

391,6250

25

381,6500

391,6500

26

381,6750

391,6750

27

381,7000

391,7000

28

381,7250

391,7250

 

Parágrafo único A utilização do espectro de radiofreqüência poderá ser efetuada de forma a permitir submúltiplos ou agregados da canalização prevista na Tabela 1, desde que de forma eficiente, devendo ser observados os sentidos de transmissão e os limites das faixas de radiofreqüências estabelecidas no caput deste artigo.

CAPÍTULO III

Das Características Técnicas

Art. 3º A largura de faixa ocupada pelo canal deve ser a menor possível de modo a reduzir a possibilidade de interferências entre canais adjacentes.

Art. 4º A potência entregue pelo transmissor à antena de uma estação deve ser a mínima necessária à realização do serviço com boa qualidade e adequada confiabilidade. A utilização de potências de transmissão inferiores ao máximo permitido, associadas ao uso de antenas de maior ganho, deve ser um dos objetivos do projeto.

Art. 5º A potência na saída do transmissor da Estação Rádio Base deve estar limitada ao valor de 54 dBm/250 W.

Art. 6º A potência na saída da Estação Terminal Móvel ou Fixa deve estar limitada ao valor de 44 dBm/25 W.

Art. 7º Na definição do sistema irradiante, a ser utilizado pela Estação Rádio Base, deve ser considerado o limite de potência máxima efetivamente radiada (e.r.p.), de acordo com a Tabela 2, a seguir, em função da altura das antenas, sendo referida ao nível médio do terreno (HNMT). Os pontos intermediários de HNMT devem corresponder aos valores de e.r.p. obtidos por interpolação linear.

 

Tabela 2

HNMT (m)

e.r.p. máxima (W)

0 – 100

800

101 – 200

200

201 – 300

65

301 – 400

35

401 – 500

21

501 - 600

15

 

Art 8ºAs antenas das estações rádio base não devem possuir setores menores que 60º.

Art.9º No caso de estações fixas deverão ser utilizadas antenas diretivas.

CAPÍTULO IV

Das Condições Específicas de Uso e Compartilhamento das Faixas

Art. 10. As radiofreqüências das faixas objeto deste Regulamento devem ser consignadas aos pares, sendo as radiofreqüências de ida e volta vinculadas ao mesmo canal.

Art. 11. A Anatel somente procederá o licenciamento de Estações Rádio Base quando a autorizada apresentar documento comprovando a coordenação prévia com os usuários dos sistemas já existentes.

Art. 12. Para efeito deste Regulamento, entende-se por coordenação prévia a atividade que consiste em acordar valores para parâmetros considerados necessários a garantir a convivência entre os sistemas operando conforme aqui estabelecido.

Art. 13. Os sistemas existentes, regularmente autorizados até a data de publicação deste Regulamento, poderão continuar em operação em caráter primário até 31 de dezembro de 2010, após o que passarão a operar em caráter secundário.

Art. 14. Caso venha a ser necessária a substituição de sistemas já autorizados, enquanto estiverem operando em caráter primário, conforme descrito no art. 13, os custos da substituição deverão ser arcados pelo interessado no uso das radiofreqüência.

§ 1º A substituição prevista no caput será obrigatória, devendo ser negociada entre o atual usuário e o interessado no uso.

§ 2º Deverão ser objeto dessa negociação, o prazo, a tecnologia, o uso de subfaixas remanescentes e, eventualmente, a definição da nova faixa de radiofreqüências a ser ocupada, incluindo a possibilidade de assunção dos atuais usuários das faixas, por sistemas que vierem a ser instalados de acordo com o presente Regulamento.

§ 3º Quando se esgotarem todas as possibilidades de acordo entre as partes envolvidas, a Anatel, por provocação de uma das partes, decidirá as condições de substituição.

CAPÍTULO V

Das Disposições Finais

Art. 15. O uso ineficiente de subfaixa de radiofreqüências, objeto deste Regulamento, integral ou de parte dela, caracteriza descumprimento de obrigação.

§ 1º Os critérios para avaliação de uso eficiente e adequado do espectro serão objeto de regulamentação específica.

§ 2º A Agência poderá estabelecer compromissos de abrangência, relativos ao uso da radiofreqüência objeto deste Regulamento, para atendimento de localidade ou prazos cujo não atendimento poderá implicar a extinção da autorização de uso das radiofreqüências.

Art. 16. As estações devem ser licenciadas e os equipamentos de radiocomunicação, incluindo os sistemas irradiantes, devem possuir certificação expedida ou aceita pela Anatel, de acordo com a regulamentação vigente.

Art. 17. As estações deverão atender à Resolução nº 303, de 2 de julho de 2002, sobre Limitação da Exposição a Campos Elétricos, Magnéticos e Eletromagnéticos na Faixa de Radiofreqüências entre 9 kHz e 300 GHz.

Art. 18. A Anatel poderá determinar alteração dos requisitos estabelecidos neste Regulamento, inclusive para os sistemas em operação, com a finalidade de otimizar o uso do espectro de radiofreqüências.